sábado, 28 de maio de 2016

Não foi culpa dela! [2]


Faz 43 anos. Mas poderia ter sido na última quarta-feira. Poderia ter sido ontem. Na verdade, essa é uma triste realidade brasileira, de todos os dias. 

Araceli Sanchez tinha apenas oito anos quando foi estuprada e morta, no Espírito Santo, em 1973.
Depois de um dia na escola, voltando pra casa, foi convidada para dar um passeio com Paulo Constanteen. Atraída e coagida, Araceli aceitou. Foi drogada por ele e passou dois dias mantida em cárcere. Teve peito, barriga e vagina dilacerados por mordidas e agressões; o queixo, deslocado a golpes; o rosto desfigurado com ácido.
Os autores do crime foram reconhecidos: Paulo Constanteen Helal e Dante Michelini. Mas nada aconteceu. A dupla foi absolvida: seus familiares eram pessoas influentes e ligados à ditadura militar.
Para Araceli? A morte. Para os estupradores? Honra. Anos depois, Paulo Helal recebeu honrarias da Assembléia Legislativa de seu estado por ser o primeiro maçom do Espírito Santo. A via mais famosa da cidade, onde Araceli foi morta, chama-se Avenida Dante Michelini.
O processo segue arquivado pela Justiça.
Em memória de Araceli, o dia 18 de maio foi instituído como O Dia Nacional do Combate ao Abuso Sexo e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

No Brasil, 50 mil mulheres são estupradas por ano. Um caso a cada onze minutos. No Nordeste, são nove denúncias por dia.

*Texto original publicado por As Mina na História em 27 de maio de 2016.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Não foi culpa dela!

"Se ela estivesse estudando isso não aconteceria!"






"Se ela estivesse na igreja isso não aconteceria!"







"Se ela estivesse em casa isso não aconteceria!"






"Se ela estivesse trabalhando isso não aconteceria!"






"Se ela tivesse um namorado fixo isso não aconteceria!"




"Se ela fosse mais família isso não aconteceria!"






"Se ela fosse menos 'puta' isso não aconteceria!"






"Se ela tivesse mais cuidado isso não aconteceria!"




EM CASO DE ESTUPRO, A CULPA NUNCA É DA VÍTIMA!

*Texto original publicado por Mariana Ferreira em 26 de maio de 2016.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Aos 23, Tina Fey estava trabalhando na YMCA (uma academia de ginástica).
Aos 23, Oprah foi demitida do seu primeiro trabalho como repórter.
Aos 24, Stephen King era zelador e vivia em um trailer.
Aos 27, Vincent Van Gogh falhou como missionário e decidiu ir para a escola de arte.
Aos 28, J.K. Rowling era uma mãe solteira suicida vivendo de bolsa auxílio.
Aos 28, Wayne Coyne (da banda The Flaming Lips) era fritadeiro em uma lanchonete.
Aos 30, Harrison Ford era carpinteiro.
Aos 37, Ang Lee era um pai caseiro que trabalhava em bicos.
Julia Child lançou seu primeiro livro de receitas aos 39, e teve seu primeiro programa de culinária aos 51.
Vera Wang falhou ao tentar entrar na equipe olímpica de patinação artística, não conseguiu a posição de editora-chefe na Vogue, e desenhou seu primeiro vestido aos 40.
Stan Lee não lançou sua primeira história em quadrinhos até completar 40 anos.
Alan Rickman desistiu da carreira de design gráfico para prosseguir atuando aos 42.
Samuel L. Jackson não conseguiu seu primeiro papel em um filme até completar 46 anos.
Morgan Freeman estreiou seu primeiro grande filme aos 52 anos.
Kathryn Bigelow apenas alcançou sucesso internacional quando ela fez Guerra ao Terror aos 57 anos.
Grandma Moses não começou sua carreira como pintora até completar 76 anos.
Louise Bourgeois não se tornou uma artista famosa até completar 78 anos.
Seja qual for seu sonho, não é tarde para realizá-lo. Você não é um fracasso por não ter conseguido fama e fortuna aos 21. Quer dizer, está tudo bem mesmo que você nem saiba qual é seu sonho ainda.

Nunca diga a si mesmo que você é velho demais para isto.
Nunca diga a si mesmo que você perdeu a chance.
Nunca diga a si mesmo que você não é bom o suficiente.
Você consegue. Seja lá o que for.


Emoticon heart
(post original por Drew Forrester, tradução por Bia Pastorello)